Sintomas - a visão da ginecologia emocional e natural

(visão de saúde integrativa)

Todo desequilíbrio físico tem um ou vários fatores emocionais envolvidos. Sim existem fatores causais bem determinados como vírus, bactérias, maus hábitos, genética, porém eles estão ligados à imunidade, que está ligada diretamente a fatores emocionais e vibracionais.

O corpo é um TODO físico, emocional e vibracional, mapeado ha séculos pelas medicinas chinesas e ayurvédicas, que claramente relacionam estas partes sem conseguir de forma alguma, isolar qualquer parte delas.

A ciência ocidental rompeu com esta verdade e vem até hoje tendo dificuldades de lidar com vários tratamentos que não respondem ao "resultado esperado", e por isso, vem fazendo um caminho de parceria com as medicinas integrativas consideradas "alternativas e complementares" aos tratamentos cientificamente comprovados.

Como funciona as doenças então? Em MUITOS casos o emocional e o espiritual é o principal fator. Em outros, o principal sintoma. Quando dizemos que uma doença tem fundo emocional ou psicológico não estamos dizendo que ela não é real. Ela é real, tem dor, tem manifestação visível e precisa ser tratada. Mas tem aquelas também que não tem nada que comprove, e estas as pessoas "aceitam" ser consideradas emocionais. No primeiro caso só boas aulas de corpos sutis, nadis e anatomia energética podem fazer compreender a origem emocional e vibracional de tudo!

Negar esta sabedoria milenar invisível  por não aparecerem resultados que a justifiquem em exames é afirmar que as respostas estão SÓ nos exames, na tecnologia, e não no INDIVÍDUO, que é a causa, o meio e a solução em si mesmo. Muito mais complexo que qualquer tecnologia pra registra-lo. 

Ânsia pelo Diagnóstico

Como disse acima, as medicinas milenares como a chinesa e o ayurveda estudavam e curavam pessoas em um tempo em que não era possível ver como estamos por dentro. A tecnologia para nosso grande avanço veio melhorar isso. Mas uma jamais deveria ter silenciado a outra, e o que vemos hoje é renascer esta comunicação.

A ânsia pelo diagnóstico revela a pretensão de que conhecemos  a explicação para tudo. De que a tecnologia atual já abrange toda complexidade do ser. De que todos os eventos que se passam em nós podem ser enquadrados em algo racional.

Questionar a veracidade do relato de sintomas que o indivíduo traz por não conseguirmos verificá-los é tirar ele do centro do processo de investigação e desempodera-lo da capacidade de conhecer a si mesmo, além de ser extremamente egóico.

Diminuir a importância e a relevância do problema se o identificamos como causado por uma ferida emocional é triste retrato da forma leviana como tratamos e lidamos com nossas emoções e as dos outros, contribuindo para uma sociedade de geniais homens frágeis, tão distantes de si.

Abaixo, trago alguns exemplos de sintomas e suas causas fisicas, emocionais e vibracionais. Estes são apenas alguns exemplos. O mais interessante da ginecologia natural é que ela não é uma ferramenta de diagnostico, que a mulher vem, relata, averiguamos e ela vai embora! não! É um processo de autoconhecimento de observação, onde a mulher vai se tornando especialista em si mesma num processo de autoconhecimento onde o terapeuta é um orientador, um espelho, um tutor, e a cada dia a mulher vai se tornando protagonista de si, e de suas decisões.

 

Miomas


Miomas são fibromas, tecidos musculares que se desenvolvem desequilibradamente devido ao excesso de estrogênio. Os estrógenos são hormônios que nos levam à fertilidade, e portanto à gestação. Após a menopausa os miomas tendem a desaparecer com a parada da atuação deste hormônio. 

O que observamos é: os miomas são criados com o mesmo hormônio que cria um filho, o que conecta ele diretamente à maternidade. Existe um tipo de Mioma (miomas submucosos) que inclusive é expulso através de um “trabalho de parto” com contrações, e é expelido pela vagina.
Nos aspectos psicoemocionais, geralmente, os miomas tem relação com alguma situação mal resolvida com o Ser Mãe, com a energia YIN , essa força compassiva e maternal.
Apenas 10% das mulheres com Miomas precisam de intervenção médica ou cirúrgica, geralmente a intervenção se faz necessária se há dor, ou se o mioma é hemorrágico. Mas ainda assim existem alternativas naturais para isso. A histerectomia, ou seja, a retirada do útero, método comum nos últimos 20 anos para “tratar” miomas é uma medida exagerada e violenta, além de ultrapassada.
Nos caminhos de cura alternativos, como é a Ginecologia Autônoma, e a Nova Medicina Germânica, a metodologia de tratamento é através das plantas também, mas principalmente, terapia para curar sua relação com a maternidade, e assim, deixar que a natureza (interior) trate de sanar o Mioma.


Algumas dicas para tratar miomas de forma autônoma e natural:
- Cúrcuma, como tempero, em chás, e todos os dias, pois combate células mutagênicas.
- A mudança na alimentação, a eliminação de excessos de alimentos inflamatórios.
- Argiloterapia local, 3 vezes por semana, podendo também introduzir um algodão úmido com um pouco de argila no canal vaginal, deixar por 2 horas e retirar.
- Ativar a circulação com dança, atividade física.
- Psicoterapia direcionada à isso.


 

Posso ajuda-la no caminho de autoconhecimento e cura deste sintoma. vem comigo! convide uma mulher sa saber destas informações!!!

Vaginose bacteriana


É a infecção ginecológica causada pela proliferação anormal de bactérias na vagina. A mais comum disparado é a fofa (sqn) da Gardnerella vaginalis, responsável por mais de 90% dos casos.
A Gardnerella é classificada como DST (doença sexualmente transmissível) porém não apresenta transmissão exclusivamente sexual. Ou seja, pega transando, mas também pega sem transar, mas transando com vários pega mais (isso é estatística, não julgamento) e usando camisinha a incidência é bem menor (claro). Sua disseminação se dá principalmente devido a um desequilíbrio da flora vaginal normal.
Seu principal sintoma é um corrimento abundante de coloração acinzentada e com odor característico, o famoso e indesejável cheiro peixe 🐟 🐠🎣 ....
A infecção por Gardnerella por si só não costuma causar muita irritação vaginal, mas o problema é que as vezes ela não vem sozinha . É muito comum ocorrerem as vaginoses mistas, quando ha infecção por bactérias e fungos e ai a xota fica literalmente toda bichada.
A detecção de presença de Gardnerella ou Clue Cells (suas células características) num exame como por exemplo o Papa Nicolau não determina que se deva trata-la. Assim como a Cândida ela pode até fazer parte da familia, só quando causa a vaginose (com sintomas) há nescessidade de tratamento.
Na visão da ginecologia natural um desequilíbrio interno que pode estar em diversos campos é o início de todo o processo para a mulher. É nescessario um olhar amoroso para dentro de si para compreender-se.
A medicina alopática comum trata as vaginoses com antibióticos sob a forma de cremes vaginais ou comprimidos.
Nós sugerimos banhos de assento, alho, calma e reflexão. Óvulos de Própolis e Calêndula por suas propriedades antiinflamatórias e bactericidas.
Reequilibrar-se.
É possível ate ela ir embora sozinha, quando recuperado o equilíbrio.
Cuide da alimentação

A ginecologia natural e emocional é mais do que "use isso pra curar aquilo" e não apoiamos não usar remédios.  O que apoiamos é um processo de autonomia com seu corpo!

Agende sua consulta!

Infecção urinária
Presença anormal de bactérias no trato urinário
Cistite: quando a infecção está na bexiga e na uretra (o "caninho" que leva o xixi da bexiga até lá fora) - é a infecção mais comum, especialmente nas mulheres pelo simples fato de terem a uretra mais curta, o que facilita a propagação de germes. Leva aos sintomas clássicos: dor e ardência ao urinar (disúria), vontade de fazer xixi TODA HORA e só sai umas míseras gotinhas (polaciúria), não conseguir segurar o xixi (urgência urinária).
Pielonefrite: Quando a infeção ascende para os rins - mais grave e felizmente menos comum. Normalmente cursa com dor lombar e/ou em baixo ventre, podendo ter febre e também os sintomas da cistite.
Muitas mulheres confundem infecção urinária com a leucorréia (infeção vaginal, corrimento).

Todo tratamento começa com exames médicos clínicos que comprovam o sintoma para poder percorrer os caminhos de cura integrativos paralelos.

© 2017 por Essência Materna - Apoio Terapêutico

Tel/whats: 047-9 92672590   

Aline Melo

Doula

  • Facebook Clean Grey
  • Twitter Clean Grey
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now